Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Contribuições

Raul Jungman apresenta sugestões para o PRDNE

Escrito por Assessoria de Comunicação (Sudene) | Criado: Terça, 14 de Maio de 2019, 17h22

O ex-ministro esteve hoje (14) na Sudene, quando apresentou propostas sobre segurança pública.

Mesa de Reunião

Foto: Ascom (Sudene)


Em um encontro com os gestores da Autarquia, Raul Jungman fez uma explanação sobre o panorama geral da segurança pública no País, destacando os números da violência (homicídio, latrocínio, entre outros), sistema penitenciário, facções criminosas, riscos e custos relacionados à criminalidade. A partir de um diagnóstico nacional e regional, o ex-ministro apontou os principais pontos sobre segurança pública que devem ser abordados pelo Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE).

Segundo dados de 2017, o Brasil registrou mais de 63 mil mortes violentas intencionais e o custo econômico da criminalidade ficou na faixa de R$ 270 bilhões. No Nordeste, a taxa de mortes violentas intencionais passou de 39,9% por 100 mil homicídios para 47,6% entre 2013 e 2017, transformando a Região na mais violenta do País. O Brasil gasta 1,4% do PIB com policiais, enquanto o gasto de países desenvolvidos fica em 1%.

Para Jungman é importante que o PRDNE tenha um olhar especial para a juventude e o sistema prisional (onde, segundo ele, nasce a violência). O Brasil está entre os países com maior população carcerária (superior a 720 mil), perdendo apenas para os Estados Unidos e a China. Sobre os jovens, ele ressaltou que é na população entre 15 e 24 anos que “se mata e morre duas vezes mais do que a média”. Entre esses jovens, os considerados mais vulneráveis são os que não trabalham, nem estudam. No Nordeste, esse grupo representa quase 27% da população.

Em linhas gerais, as propostas de Raul Jungman incluem um centro de formação policial, inteligência e tecnologia; programas de prevenção para a juventude vulnerável e de reestruturação do sistema prisional (programa de educação e renda para apenados e programa de reinserção social para egressos); Fundo Regional de Segurança; e implantação do Sistema Único de Segurança Pública (Susp) regional.

O superintendente da Sudene, Mário Gordilho, afirmou que esse é um tema relevante para a Região, estando entre as prioridades dos governos estaduais que compõem a área de atuação da Autarquia.

 

Assessoria de Comunicação Social e Marketing Institucional
Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste
(81) 2102-2102
ascom@sudene.gov.br
Siga nossas redes sociais: @sudenebr

Fim do conteúdo da página