Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Projetos

Sudene e Defesa traçam rumos para atuação no NE

Escrito por Assessoria de Comunicação (Sudene) | Criado: Sexta, 04 de Agosto de 2017, 12h15 | Publicado: Sexta, 04 de Agosto de 2017, 12h19

Reunião com secretário Flávio Basilio estabeleceu primeiras estratégias para projetos da pasta na região.

Foto: Andrea Barradas (Sudene)

A foto mostra cinco pessoas juntas e sorridentes. Todas olham para a câmera. Estão em trajes formais.


Uma reunião entre a Sudene e representantes do Ministério da Defesa traçou as estratégias iniciais das entidades federais após a decisão do Conselho Deliberativo da autarquia (Condel) para estimular a atração de projetos deste setor para o Nordeste.

O encontro da última quarta-feira (02) aconteceu durante um fórum mensal organizado pela pasta para alinhamento estratégico de ações. Participaram, pela Sudene, o diretor de Fundos e Incentivos, Sérgio Wanderley, o economista Ademir Vilaça e a chefe do escritório de representação da Autarquia em Brasília, Andrea Barradas. A equipe se reuniu com o ecretário de produtos da Defesa, Flávio Basilio e autoridades das Forças Armadas.

A ideia é iniciar um plano inicial de atuação, que inclui o levantamento de demandas da Defesa em território nordestino e prioridades de atuação a curto, médio e longos prazos.

NOVOS PROJETOS

Com a decisão do Condel da Sudene, o Nordeste passa a contar com novas possibilidades de atração de projetos da indústria da defesa por meio dos recursos dos Fundos Constitucional e de Desenvolvimento do Nordeste, FNE e FDNE. Flávio Basílio, durante a reunião máxima da Sudene, classificou a decisão como um grande passo para o Nordeste, contribuindo para despolarização da base industrial de defesa.

“Faltavam instrumentos para dar suporte. Então, este passo que está sendo dado vai trazer desenvolvimento para a região. Por que a demanda já está aqui. Vai haver uma descentralização natural”, frisou o secretário.

Segundo o Ministro da Defesa, Raul Jungmann, as atividades do setor movimentam aproximadamente US$ 4 trilhões por ano. Para o chefe da pasta, o Nordeste passa a competir neste cenário, desenvolvendo tecnologia de ponta e gerando oportunidades e aprimoramento de mão-de-obra qualificada. A região poderá, ainda, se tornar um polo de fabricação e manutenção de embarcações, aeronaves e até mesmo radares, satélites e estudos em cibernética.

Saiba mais

O que é a indústria da Defesa?

Multimídia

Confira, a seguir, entrevista com o secretário Flávio Basilio, durante a XXI Reunião do Conselho Deliberativo da Sudene, ocorrida em 27/07 no Recife: 

 

Assessoria de Comunicação Social e Marketing Institucional
Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste
(81) 2102-2102
ascom@sudene.gov.br
www.sudene.gov.br
Siga nossas Redes Sociais: Facebook | Twitter | Instagram | Youtube | Flickr | Soundcloud

Fim do conteúdo da página