Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página
Levantamento

Seminário ODNE aborda indicadores regionais

Escrito por Assessoria de Comunicação (Sudene) | Criado: Terça, 10 de Outubro de 2017, 16h17

O evento apresentou o andamento dos boletins temáticos do Observatório do Desenvolvimento do Nordeste.

Foto: Ascom/Sudene

Foto da plateia em primeiro plano (de costas) e , ao fundo, do telão (com uma imagem das apresentações.


Técnicos da CGEP/DPLAN mostraram o resultado dos levantamentos sobre migração; mortalidade materno-infantil; saneamento básico; e ciência, tecnologia e inovação, temas que intitulam quatro boletins. O de migração traz informações sobre as dinâmicas intrarregional e inter-regional, com o fluxo de saída e entrada de migrantes da Região, o que contribuirá para definir o perfil da população da área de atuação da Sudene. Os dados referentes à mortalidade materno-infantil revelam que o Nordeste registrou avanços significativos, mas continua registrando taxas de mortalidade superiores as do Brasil. Em 2010, por exemplo, o País registrou 16 mortes por mil nascidos vivos, enquanto os números do Nordeste ficaram superiores a 26.

O Boletim de Ciência, Tecnologia e Inovação destaca a média regional do número de bolsas concedidas às regiões pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior/Capes (pós-graduação) e pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico/ CNPQ, que vêm aumentando em todas as regiões, mas que são disponibilizadas em maior quantidade para o Sudeste. As bolsas do CNPQ, por exemplo, passaram de 786 para 1995 entre 2012 e 2015 no Nordeste. Já no Sudeste, subiu de 6.261 para 12.843. O Boletim aborda, ainda, o percentual de dispêndios em Ciência e Tecnologia (C&T) dos governos estaduais em relação às suas receitas totais, a distribuição total de patentes, a média regional das empresas que implementaram inovações e a estrutura de financiamento das atividades de pesquisa e desenvolvimento.

No quesito saneamento básico, as regiões Sul e Sudeste estão praticamente universalizadas em relação à agua encanada, enquanto o Nordeste registra 80% de municípios atendidos. Sobre o destino do lixo, nenhuma região está universalizada, mas todos os estados do Nordeste estão abaixo da média nacional, que era de 92% em 2015. O Coordenador-Geral de Estudos e Pesquisas, Avaliação, Tecnologia e Inovação (CGEP), Frederico Cavalcanti, ressaltou que os boletins temáticos do ODNE irão nortear a elaboração do Plano Regional de Desenvolvimento do Nordeste (PRDNE), auxiliando a definição de políticas públicas que devem ser implementadas para promover o desenvolvimento regional.

ODNE

O Observatório do Desenvolvimento do Nordeste (ODNE) é um sistema de dados abertos criado pela Sudene com foco na divulgação de informações ambientais, sociais e econômicas da área de atuação da Autarquia. A ideia é subsidiar atividades de planejamento público, contribuindo para o desenvolvimento regional.

 

Assessoria de Comunicação Social e Marketing Institucional
Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste
(81) 2102-2102
ascom@sudene.gov.br
www.sudene.gov.br
Siga nossas Redes Sociais: Facebook | Twitter | Instagram | Youtube | Flickr | Soundcloud

Fim do conteúdo da página