Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Notícias > Sustentabilidade > Alternativa para a economia do semiárido
Início do conteúdo da página
Evento

Alternativa para a economia do semiárido

Escrito por Assessoria de Comunicação (Sudene) | Publicado: Segunda, 24 de Setembro de 2018, 10h05

Evento da Sudene apresenta pesquisas e projetos que apontam a palma forrageira como estratégia para as atividades produtivas do semiárido durante os períodos de seca.

Um dos maiores desafios dos produtores rurais que vivem no semiárido é dar continuidade às atividades agropecuárias em meio ao déficit hídrico registrado na região. Para a Sudene, a palma forrageira desponta como alternativa viável ao suporte alimentar animal durante os períodos de seca. E é com o objetivo de apresentar pesquisas e projetos que ratificam a importância do vegetal para a economia nordestina que a autarquia realiza na próxima terça-feira (25), a partir das 8h, a II Reunião Técnica da Rede Palma. O evento acontece na sede da autarquia no Recife em parceria com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE).

Um dos itens da programação é a validação do Zoneamento Agrícola de Risco Climático da Palma Forrageira. Este levantamento delimita os territórios que possuem aptidão climática para o cultivo da planta, indicando os períodos mais favoráveis para o plantio nos municípios considerados aptos. O objetivo é minimizar perdas agrícolas por excesso ou escassez de água. A exposição será comandada pela Embrapa Semiárido.

Também serão apresentados os dois projetos escolhidos pela Sudene durante seleção pública realizada pela instituição federal em maio deste ano. A ideia da superintendência é estabelecer sistemas e tecnologia de produção para a cultura da palma forrageira. Uma das iniciativas eleitas foi o projeto do Instituto Agronômico de Pernambuco (IPA), que pretende desenvolver sistemas de cultivos intensivos com ênfase nas adubações orgânica e mineral, densidade populacional e irrigação complementar para o aumento da capacidade produtiva da palma forrageira no semiárido.

A outra proposta vencedora é de autoria da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig). O trabalho possui dois objetivos: desenvolver soluções tecnológicas para o cultivo da palma no norte de Minas Gerais e Vale do Jequitinhonha e estabelecer uma rede mineira de seleção, multiplicação e distribuição do vegetal.

A conclusão dos dois estudos está prevista para 2021.

O Ministério da Integração Nacional e a Secretaria de Desenvolvimento Agrário do Ceará (SDA) complementam a programação com os projetos Interáguas e Repalma, respectivamente.

O evento será aberto ao público.

Sobre a Rede Palma

A Rede Palma é uma iniciativa da Sudene para reunir diversos segmentos envolvidos nos processos produtivos dos quais a palma forrageira é integrante. O objetivo do grupo é fomentar o diálogo e a articulação entre instituições de desenvolvimento regional, universidades, pesquisadores, membros da iniciativa privada e sociedade civil para analisar cenários, propor ações e consolidar as potencialidades da palma no semiárido.

Serviço

II Reunião Técnica da Rede Palma
25 de setembro de 2018, das 8h às 16h30
Auditório da sede da Sudene (Avenida Domingos Ferreira, 1967, Boa Viagem, Recife – PE)

 

 

Assessoria de Comunicação Social e Marketing Institucional 
Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste 
(81) 2102-2102 
ascom@sudene.gov.br
Siga nossas redes sociais: @sudenebr

Fim do conteúdo da página